• Dança 1
Menu

 

SEMINÁRIO PERMANENTE DO GRUPO DE INVESTIGAÇÃO ETNOMUSICOLOGIA E ESTUDOS EM MÚSICA POPULAR
 
 
2024-02-07 | 15h00 | NOVA FCSH, Colégio Almada Negreiros, Campolide (Lisboa) | Sala 208 - Piso 2 | Sala Zoom 
 
 
Entrada livre, presencial e online.
 
 
 

As indústrias criativas no século XXI

 

Helena Vasques de Carvalho | INET-md

 

O seminário de investigação enquadra o mundo contemporâneo de produção nas artes e a redefinição do papel e função do agente cultural, oferecendo um background para a compreensão orgânica em várias áreas de investigação cultural. Analisa como a agenda internacional e a percepção económica da cultura moldam e impactam o campo e a produção cultural na era global. Focado numa pesquisa interdisciplinar, aborda questões como valor cultural; cultura, globalização e dinâmica produtiva; artes versus indústrias culturais; e novas abordagens para a conceptualização criativa.

A percepção económica da cultura, através do conceito de indústrias criativas, apresenta um cenário ambíguo para os artistas, para a justificação do apoio financeiro governamental ou implementação de políticas culturais. Mas outras interpretações da cultura surgem em estudos contemporâneos, como a “ecologia da cultura” (UE), a diversidade cultural (UNESCO) ou os estudos CVM no campo cultural.

 
Helena Vasques de Carvalho | Doutorada em Sociologia da Cultura (2016), ISCTE-IUL, Portugal; com mestrado em piano performance pela University of Tennessee – EUA. A sua principal área de investigação relaciona as profissões dos artistas na economia de mercado, desenvolvimento vocacional e profissional dos artistas, as artes performativas na agenda criativa, etc. Actualmente é investigadora freelancer no INET md, UnivNova de Lisboa, onde também lecciona um seminário de doutoramento sobre Indústrias Criativas. Cargos anteriores incluem Coordenação do Programa de Mestrado em ensino de instrumento, ISEIT – Almada; e professora convidada da Universidade de Évora. Helena é Presidente da Coligação Portuguesa para a Diversidade Cultural, membro da IFCDC – Federação Internacional de Coligações para a Diversidade Cultural; observador convidado pela UNESCO nas reuniões intergovernamentais sobre a Convenção de 2005; revisor académico internacional da IAFOR e já foi membro de júri DGArtes – Ministério da Cultura, e Fulbright. Como pianista freelancer profissional, actuou em inúmeros concertos, recitais, música de câmara, e como pianista de orquestra com as Orquestras Sinfónica e Gulbenkian. É também representante da ABRSM – Associated Board of Royal Schools of Music – em Portugal.