• Piano
Menu
Coordenação
 
 
Financiamento
Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
 
 
Referência
32568
 
 

Prazo de Execução

October 2018 to 2021

 

 

Equipa

João Soeiro de Carvalho | Vincent Debut | Salwa Castelo-Branco | Maria de São José Côrte-Real | Marco Freitas | Gianira Ferrara | Isaac Raimundo | Miguel Carvalho 

 

 

Resumo

A experiência cultural do século XX nos países africanos de língua portuguesa (PALOPs), e em Portugal, foi marcada por relações que passaram pelos processos de independência colonial e posterior. Examinar o seu impacto requer uma observação científica indispensável para a compreensão das sociedades envolvidas. O encontro de culturas musicais nesse contexto foi abordado através de estudos de processos interculturais e multiculturalismo (Castelo-Branco1997). A relação entre a cultura musical e o fenómeno do colonialismo merece agora um estudo mais aprofundado. Em particular, as afinidades históricas e culturais entre Portugal e os PALOPs não foram tidas em conta no estudo dos fluxos e dinâmicas das relações culturais globais. A resultante representação musical de tais afinidades reflete-se em importantes linguagens musicais, identificadas como géneros com papéis que vão desde a figuração imaginária de entidades socioculturais até a cristalização de identidades nacionais (Corte-Real2010).
O património material condensou tais representações. No caso de formas de comportamento expressivo como a música, os instrumentos estiveram no centro da apropriação das identidades. Os museus portugueses mantiveram coleções de tais objetos, destacando-se o Museu Nacional de Etnologia, outrora Museu Colonial. A Timbila de Moçambique está muito bem representada nesta coleção. É a coleção histórica mais importante do mundo, devido ao número de instrumentos, e sua idade. Não existe uma coleção comparável em Moçambique. O património histórico da Timbila é mantido em grande parte em Lisboa. Este projeto visa a sua restituição, de forma inovadora, utilizando métodos avançados e novas tecnologias.
No contexto da globalização, a preservação do património cultural e a garantia da sua transmissão intergeracional são questões urgentes para as nossas sociedades. A UNESCO criou um conjunto de disposições para a restituição dos bens culturais que incentiva a investigação necessária. Devem procurar-se novas formas e procurar soluções que integrem abordagens interdisciplinares e o aproveitamento das tecnologias de comunicação.
Pretendemos explorar uma metodologia partilhada, ligando Etnomusicologia e Acústica Musical, para recolher e analisar dados sobre xilofones raros e criar aplicações web com impacto para apoiar a restituição da Timbila histórica, Património Imaterial da Humanidade classificado pela UNESCO, a Moçambique, um país que perdeu quase toda memória tangível da Timbila histórica.

O seu objetivo científico é relacionar as tradições de fabrico com as práticas musicais de forma sistemática. O plano de trabalho baseia-se na pesquisa etnográfica e histórica, medidas morfológicas e acústicas e simulação computacional.

Devido ao grande valor da coleção, um dos desafios consiste no desenvolvimento de técnicas não destrutivas para a análise. Outra questão é abordar rigorosamente a interação barra/membrana/ressoador para melhor reproduzir as subtilezas sonoras da Timbila.