• Guitarra
Menu
02.11.2021 | 16:00-18:00 | NOVA FCSH | Sala B 201
 
 
 
 
Festival Eurovisão da Canção: onde nacionalidade e pertença LGBTQ se encontram na música popular?

O Festival Eurovisão da Canção (FEC), assim como os torneios desportivos, é estruturado em uma lógica de "nacionalismo banal" (Billig 1995), em que muito do significado e do prazer que os espectadores obtêm de suas apresentações vêm do espetáculo de uma nação competindo contra outra nação. Semioticamente, a estrutura competitiva internacional do FEC convida um 'olhar' espectador (ou modo de ver) em que todos os performers incorporam suas nações, e suas performances incorporadas extraem significado de como eles aproveitam ou subvertem as expectativas do público sobre género, nação, etnia, sexualidade e raça. O FEC permite que os fãs celebrem a sexualidade e a nacionalidade, assim como a sexualidade e a europeidade, juntos. A incorporação do FEC na geopolítica internacional dos direitos LGBTQ adiciona uma dimensão extra à observação de Peter Rehberg (2007). Quando assistimos ao show, ao lado das bandeiras nacionais, a grande base de fãs LGBTQ do FEC faz com que uma das bandeiras mais visíveis na audiência seja a bandeira do arco-íris - puxando o FEC para a política internacional de visibilidade queer e Orgulho LGBT. O FEC, com seus rituais de competição entre as nações, exemplifica o paradoxo da 'unidade na diversidade' das visões da Europa, onde a celebração de uma identidade coletiva transnacional envolve a dependência contínua de seus estados-nação componentes, enquanto identificações contestadas e diversas dentro de cada nação são frequentemente comprimidas em um todo nacional indiferenciado. Ao mesmo tempo, a tensão sobre a visibilidade de símbolos e identidades queer ecoa a tensão que as pessoas queer, que vivem sob a homofobia de estado, negociam na vida quotidiana. Nesta sessão, Catherine Baker debate as tensões na representação de diferentes pertenças, sejam elas coletivas ou individuais, apresentando alguns exemplos recentes (2019 e 2021), desencadeando a discussão sobre as tensões entre nacionalidade e pertença LGBTQ no FEC.
 
Leituras recomendadas:
  • Baker, C (2019). 'If Love Was a Crime, We Would Be Criminals': The Eurovision Song Contest and the Queer International Politics of Flags. In Kalman, Wellings, and Jacotine (eds.). Eurovisions: Identity and the international politics of the Eurovision Song Contest since 1956. Singapore: Palgrave Macmillan.
  • Rehberg, P (2007) 'Winning Failure: Queer Nationality at the Eurovision Song Contest', SQS: Journal of Queer Studies in Finland, 2, 60–65. https://journal.fi/sqs/article/- view/53668/16790
 
 
 
 
 
Catherine Baker é especialista em história pós-Guerra Fria, relações internacionais e estudos culturais, incluindo a região pós-Iugoslava em um contexto transnacional e global. Seus projetos de investigação estão conectados por um interesse abrangente na política de representação, narrativas e saberes sobre o passado. Os projetos actuais de Catherine incluem relações entre a guerra / os militares e a cultura popular; a política cultural de eventos internacionais (incluindo o Festival Eurovisão da Canção); Política e identidades LGBTQ desde o final da Guerra Fria, incluindo representação queer nos média; e 'raça' na região da Iugoslávia. Ela também investigou intérpretes / tradutores na manutenção da paz. Catherine ensina História da Liberdade, O Terceiro Reich, 1933-45, e contribui para o preparação de investigadores de pós-graduação.
 
Sofia Vieira Lopes é especialista na selecção nacional de Portugal para o Festival Eurovisão da Canção sob a orientação de João Soeiro de Carvalho. Ela investiga Música e Televisão, Festivais de Música, Música e Mídia e Indústrias Musicais. É licenciada em Musicologia e obteve o Mestrado em Etnomusicologia pela mesma instituição com uma dissertação sobre música, televisão e canção de protesto durante a ditadura. Ela lidera e é membro do Comitê Científico da EUROVISIONS - International Conference Eurovisions: Perspectives from the Social Sciences, Humanities, and the Arts (1st. ed. Lisbon, 2018; 2nd ed. 2019; 3rd ed. Online 2020; 4th ed. Online 2021; 5th ed. Ongoing). (www.eurovisions.eu).
 
Irving Wolther estudou estudos linguísticos e culturais aplicados e jornalismo nas Universidades de Mainz, Genebra e Hanover. Trabalha o Festival Eurovisão da Canção há mais de 40 anos, sobre o qual escreveu a dissertação 'Kampf der Kulturen: Der ESC als Mittel national- -kultureller Repräsentation' em 2006, onde analisa as inter-relações entre os média, indústria musical, política e cultura nacional. É conferencista e jornalista do site oficial alemão do Festival Eurovisão da Canção, orador principal no Institut d'études politiques de Paris, o Bundeszentrale für politische Bildung, e professor em várias instituições educacionais. Publica regularmente sobre o Festival Eurovisão da Canção e outros assuntos da cultura popular. Em 2018, juntamente com Sofia Vieira Lopes criou aConference EUROVISIONS: Perspectives from the Social Sciences, Humanities and Arts (1st ed. Lisbon, 2018; 2nd ed. Tel Aviv, 2019; 3rd ed. Online 2020; 4th ed. Online 2021; 5th ed. Ongoing; www.eurovisions.eu) which he is the Team Leader and member of the Scientific Committee.
 
 
 
 
O Seminário Doutoral "Música e Corpo: tradição e transgressão através da etnomusicologia e pensamento crítico" (M&Btt) é organizado pela Professora Maria de São José Côrte-Real e um grupo de estudantes de doutoramento avançados. Foca-se na investigação em música, dança e pensamento crítico. O conteúdo de cada sessão é diversificado, e resulta das colaborações entre investigadores internacionais convidados e jovens doutorandos do INET-md. A série de seminários estreia-se com a palestra de Timothy Rice. O conteúdo específico de cada sessão varia em função das colaborações entre os investigadores convidados e os estudantes de doutoramento. A aprendizagem transversal permite a preparação e defensa de trabalhos originais, participação em discussões colectivas, e o contacto com perspectivas multidisciplinares. Com uma metodologia original de discussões colaborativamente orientadas, o M&Btt desenvolve-se ao longo de sete sessões semanais, às terças-feiras. Para obter 10 ECTS, contactar Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..