• Palco
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutoranda
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)

Nota Biográfica

Ana Barros é licenciada em canto pela Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Porto, mestre em Ensino de Música pela Universidade de Aveiro e, neste momento, frequenta o programa doutoral em música (performance) da Universidade de Aveiro enquanto bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Ana Barros, mantém uma carreira activa enquanto cantora, tendo realizado concertos em Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Irlanda, USA, México e Itália, maioritariamente com ensembles de música contemporânea tendo gravado para rádio (Antena2) e TV (Rtp1 e Rtp2). Como camerista atuou com os grupos "De corda em corda", com a pianista Christina Margotto e o violoncelista Jed Barahal; “Fatum Ensemble”; “Performa Ensemble”; duos com os pianistas Isabel Sá e Daniel Cunha, e o guitarrista Augusto Pacheco com o qual gravou a música de câmara para guitarra e voz de Fernando Lopes Graça. Gravou, ainda, um álbum com o grupo "Som Ibérico", dirigido pelo guitarrista Artur Caldeira. Estreou, sob encomenda da Casa da Música, um ciclo de António Chagas Rosa, composto sobre poemas eróticos da grande poetisa Maria Teresa Horta. Atuou em "Boca" de Regina Guimarães e Saguenail, produção do Teatro Bruto, com música original de Magna Ferreira. Com o quinteto de sopros francês "Le Concert Impromptu" realizou o projeto BWK, espetáculo baseado nos textos de Brecht, participando nos aclamados Festivais da Normandia (França) e no Festival Brecht (Alemanha). Apresentou o projeto "Saturno - La Mélodie Française", do Centro de Criação Artística da Gulbenkian, com encenação de Ana Luena e sob a direção musical de Jeff Cohen. Junto ao pianista Daniel Cunha atuou no espetáculo "Severa – O fado de um fado", encenado por Pedro Ribeiro, invocação moderna da grande figura mítica do fado: Maria Severa, contando com o apoio do Museu do Fado, Antena 2 e Instituto Camões. Este projecto foi gravado em CD (2015) com o pianista Bruno Belthoise. Com a pianista Isabel Sá gravou "Palavras oníricas: o surrealismo português", com obras escritas para o projecto por Carlos Marecos, Sérgio Azevedo e Edward Ayres de Abreu para a poesia de Mário Cesariny e obras de António Pinho Vargas para a poesia de António Ramos Rosa e Albano Martins. De momento centra a sua actividade nos estudos em performance e pesquisa artística, dedicando-se à produção musical de mulheres cantoras/compositoras/mecenas artísticas, tendo editado 4 Canções sobre poemas de Camões de Berta Alves de Sousa, assim como participado num livro sobre a compositora com um capítulo inteiramente dedicado à sua obra vocal de câmara.

 
 
 
 
Projeto de Doutoramento
 
Título
Sociabilidades femininas e o repertório vocal de câmara em Portugal do final do século XIX até ao Estado Novo
 
teseanabarros 2
 
Orientação
Helena Marinho e Manuel Deniz Silva
 
Resumo

Apesar da actividade relevante das mulheres portuguesas no âmbito da criação musical, as questões de género não são geralmente abordadas nas histórias gerais de música erudita, reflectindo os obstáculos sociais que limitavam a profissionalização da mulher. Este projecto tem como objectivo geral compreender o estudo da acção e criação de mulheres intérpretes e compositoras em Portugal, num período de três décadas entre o final do séc. XIX e o estabelecimento do Estado Novo, focando em especial o repertório de canção de câmara, e os seus contextos de criação e interpretação. Pretende-se assim compreender as motivações para o predomínio quase exclusivo deste género na produção das compositoras dessa época, estudar as ligações implícitas e explícitas entre esta tipologia de obras e os contextos culturais e de género, e a sua inserção e relevância em modelos de sociabilidades, assim como analisar e identificar padrões estilísticos e interpretativos com vista à sua recriação.