• Dança 4
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutorando
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)

Nota Biográfica

Em 2019, Lino Pinto iniciou o Programa Doutoral em Música, no ramo da Teoria e Análise da Música, na Universidade de Aveiro (UA), com o objetivo de contribuir para a análise e divulgação da música erudita portuguesa do século XX. É natural de Vila Real, dando os seus primeiros passos musicais na Banda de Música de Mateus. Em 1991 concluiu o curso complementar de Clarinete na Fundação Conservatório Regional de Gaia (FCRG) na classe do Prof. Saul Silva. Em 1999 licencia-se em Composição sob a orientação do Prof. Cândido Lima na Escola Superior e Artes do Espetáculo (ESMAE). Em 2005 concluiu o Mestrado em Música na área da composição na UA sob a orientação da Profa. Isabel Soveral. Participou ativamente em diversos seminários na área de Direção Musical: em 1991, com o Maestro Ivo Cruz; em 1994, com Maestro Gerald Kegelmann; em 1995, com o Maestro Omri Hadari.
A sua atividade tem sido desenvolvida sobretudo na área pedagógica na FCRG, na docência de disciplinas de Análise e Técnicas de Composição, Formação Musical e Classe de Conjunto (no Conservatório Regional de Gaia), e, Análise Musical e Instrumentação (no Conservatório Superior de Música de Gaia). Na área performativa dirigiu durante alguns anos a Orquestra de Sopros da FCRG e diversas bandas filarmónicas. Integrou durante várias temporadas o Grupo de Música Vocal Contemporânea dirigido pelo Maestro Dr. Mário Mateus. No âmbito da composição a sua obra caracteriza-se por sonoridades oriundas de conjuntos específicos de notas, de ritmos e texturas, induzidos por processos geométricos. Foi agraciado com menção honrosa no 1º Concurso Nacional de Composição Temática para Coros Amadores/97. Participou no Festival Internacional de Electroacústica – Música Viva/99 e 2000 com as obras Clavistar e Punctusciber. No projeto “Postais de Portugal” da EPTA-Portugal (Associação Portuguesa de Professores de Piano), apresentou duas peças para piano, selecionadas para o Congresso/2006 efetuado na Madeira. Tem colaborado com o Coro Juvenil da FCRG na elaboração de arranjos orquestrais de operetas, e de harmonizações de canções tradicionais. Destacam-se ainda: Isonomias para Violoncelo e Piano (2011), estreada no Concurso Jovens Músicos por Fábio Pinto e Pedro Borges na Casa da Música; Cadentes Cadências para Violino Solo (2014), estreada por João Castro na ESMAE; Clavistar 2, para Clarinete e Eletrónica, estreada em 2017 por Diogo Taveira na ESMAE; e, Spirals – snare drum duet (2018), estreada em 2019 por João Nuno e João Vieira na FCRG.
 
 
Ciência Vitae | ORCID
 
 
 
Projeto de Doutoramento
 
Título 
A Música para Bailado em Frederico de Freitas: contextualização e análise musical
 
LinoPinto-projeto
 
Orientação
 
Co-orientação
 
Resumo 
O estudo da música tradicional estimulou e influenciou as obras de alguns compositores durante o século XX. Com o objetivo de divulgar e analisar a música erudita dos compositores portugueses, foi selecionada a obra de Frederico de Freitas (1902-1980) como um bom exemplo. Neste projeto pretende-se desenvolver um estudo sobre uma parte fundamental e identitária da obra deste compositor. O objeto de investigação consistirá na análise musical de sete bailados: Ribatejo; Muro do Derrête; A Dança da Menina Tonta; Imagens da Terra e do Mar; Nazaré; A Dama de Pé-de-Cabra e Farsa de Inês Pereira. Também será realizada uma contextualização dos mesmos com a respetiva época, com as políticas culturais do Estado Novo e com a produção multifacetada de Frederico de Freitas. A perspetiva analítica irá considerar o movimento dinâmico dos elementos estruturais das partituras em questão, como as texturas, o timbre e a perceção da articulação da forma no tempo, em linha com as teorias desenvolvidas por Wallace Berry, em Structural Functions of Music (1987), e Jonathan D. Kramer, em The Time of Music (1988).