• Dança 3
Menu
Escolher um contacto:
Imagem do contacto
Doutor Integrado
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)
CV:

Nota Biográfica

Ana Flávia Miguel realizou uma licenciatura em música - piano (2004), um mestrado em música (etnomusicologia)(2010) e um doutoramento em música (etnomusicologia) (2016) na Universidade de Aveiro. Ao longo dos anos tem feito trabalho de campo em Portugal, Cabo Verde, Itália, Brasil, Moçambique e África do Sul. É a investigadora co-responsável pela elaboração do dossier de candidatura do Kola San Jon a património cultural imaterial. É consultora científica do dossier de candidatura do Cantar os Reis a património cultural imaterial (in progress). Produziu o documentário "Kola San Jon” que ganhou o Intangible Heritage Documentation Award no 6th Folk Music Film Festival em novembro de 2016 (Nepal). Ganhou ainda o prémio Research Day’14 com o poster intitulado Classifying heritage by (re)classifying identities: The inclusion of Kola San Jon in the Portuguese List of Intangible Heritage. Os seus principais domínios de estudo são músicas africanas, etnomusicologia aplicada e práticas de investigação partilhada em estudos sobre música em Cabo Verde e sobre música em Portugal. É editora assistente da revista El Oído Pensante. De 2005 a 2013 foi assistente convidada no Instituto Politécnico de Bragança. Atualmente é investigadora em pós-doutoramento em etnomusicologia na Universidade de Aveiro e investigadora integrada no INET-md.
 
 
 
 
 
 
Dissertação de Doutoramento
 

Título

Skopeologias: músicas e saberes sensíveis na construção partilhada do conhecimento

 

AnaFlaviaDoutoramento

 

Orientação

Susana Sardo Samuel Araújo (co-orientação)

 

Resumo

Esta tese enquadra-se no domínio da etnomusicologia e constitui uma proposta sobre o modo como as práticas de investigação definem instrumentos valiosos para a construção do conhecimento, num modelo em que a permeabilidade dos saberes é geradora de modos de fazer mundos emancipadores. A investigação foi desenvolvida a partir de um percurso dedicado ao estudo da música cabo-verdiana, iniciado em 2006, e caracterizado por uma progressiva imersão no terreno e pela da adoção de diferentes práticas de investigação em estreito diálogo com as pessoas detentoras das músicas. Neste sentido, dialogo com duas experiências de observação: a do grupo Musicultura, no Rio de Janeiro/Brasil e a do AMD Program, em Durban/África do Sul. Para a discussão sobre as práticas de investigação, esta tese recorre à análise da produção científica de etnomusicólogos que têm atuado no âmbito da etnomusicologia aplicada e que têm refletido sobre o modo como os contextos “convocam” os etnomusicólogos a mediar e a agir. Recorro a dois estudos de caso que constituíram o meu universo de observação, análise e ação: o processo de patrimonialização do Kola San Jon e o projeto Skopeofonia. No primeiro caso descrevo as práticas e o modo como foi construído o dossier de candidatura a PCI. No projeto Skopeofonia descrevo as práticas de investigação compartilhada pelos diferentes atores envolvidos (académicos e não académicos). A análise das consequências da patrimonialização do KSJ, conduziu-me a uma reflexão sobre o modo como a etnomusicologia e a música podem adquirir um protagonismo singular em ações de responsabilidade social. As discussões sobre as práticas protagonizadas pelo Skopeofonia permitiram-me aceder a diferentes versões de mundos através dos saberes e das experiências sobre música. Este processo refletiu-se num melhor entendimento sobre o modo como a música e outros saberes sensíveis, podem ser decisivos na promoção de saberes emancipatórios e na própria construção do conhecimento em etnomusicologia.