• citara
Menu
Escolher um contacto:
Tags: DeCA | UA  
Imagem do contacto
Doutorando
Departamento de Comunicação e Arte | Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810-193 Aveiro
Portugal
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 234 370 389 (ext. 23700)

Nota Biográfica

Adriano Pinheiro é tenor lírico natural de Goiânia-GO-Brazil. Sob a orientação do tenor do Metropolitan Mr. Neil Rosenshein, graduou-se em 2012 no Professional Studies in Voice da Manhattan School of Music - New York, onde também trabalhou como professor de canto no programa MSM Sunday. Mestre em Música pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Brasil (2010), apresentou a tese Análise Comparativa do Uso da Tabela Fonética do Português Brasileiro Cantado Por Cantores Argentinos Com e Sem o Uso de um Recurso Audiovisual, sob orientação da Profa. Dra. Martha Herr e Coorientação da Profa. Dra. Silvia Pinho. Graduado em Licenciatura Habilitação em Música pela Universidade Federal de Goiás. Atua em ópera, música de concerto, música de câmara, regência, direção cênica e produção de espetáculos culturais. Atuou como tenor solista nas obras O Messias (Handel), "A Criação" (Haydn), "Requiem" (Mozart), Madalena (Villa-Lobos), "A Flauta Mágica (Mozart), "La Traviata" (Verdi), "Le Domino Noir '(Daniel Auber), Olga (Jorge Antunes) e Carmen (Bizet). Apresentou-se sob regência de renomados maestros como Eleazar de Carvalho, Carlyle Weiss, Erick Whitacre, Krzysztof Penderecki e Linus Lerner, dentre outros. Especializou-se em canção brasileira com Lenice Priolli. Oferece regularmente aulas de canto e masterclass nos Estados Unidos, Mexico, Costa Rica, Espanha, Grecia, Argentina e Brasil. Em 2012 foi concertista e professor do 8º Barcelona Festival of Song. Dirigiu a Ópera Gianni Schicchi (Puccini) no Teatro Alcalá - Festival de Opera de Oaxaca e a Ópera A Medium (Menotti) no Festival de Opera San Luis Potosi (México). De 2012 a 2017 foi professor de canto da Universidade Federal de Pernambuco criando o programa Ópera Studio da UFPE. É criador e diretor do I Festival Internacional de Canto de Goiânia e I Concurso Internacional de Canto de Goiânia. Atualmente é professor de canto na Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG) e doutorando na Universidade de Aveiro – Portugal com a tese Definição, Edição Crítica e Performance da obra A Noiva do Condutor (Arnold Gluckmann e Noel Rosa) - Uma Abordagem Transdisciplinar sob a orientação do Prof. Dr. Pedro Aragão. 
 

Ciência Vitae | ORCID

 

Projeto de Doutoramento
 
Título
Definição, Edição Crítica e Performance da obra A Noiva do Condutor (Arnold Gluckmann e Noel Rosa), Uma Abordagem Transdisciplinar
 
Orientação
 
Resumo
Este projeto tem por objetivo problematizar a noção de “obra musical” no contexto da música popular urbana brasileira, a partir de uma abordagem transdisciplinar que envolve estudos da performance, etnomusicologia e o chamado popular music studies. O foco principal deste trabalho é a obra “A Noiva do Condutor”, composta em 1935 pelo sambista Noel Rosa e o regente e orquestrador Arnold Gluckmann. Escrita originalmente como um bosquejo para um programa radiofónico, estreou somente em 1985 na gravação em LP (Long Play) com a participação de importantes atores brasileiros como Marília Pêra e Grande Othelo. A partir daí foi remontada e reconstruída em diversas ocasiões e formatos, resultando em novas orquestrações, versões de enredo e releituras. O projeto está fundamentado em três grandes polos de reflexão. O primeiro procura problematizar a noção de obra musical, embasado nos autores MIDDLETON (1998), COOK (2001), MOORE (2001), De NORA (2001) e HENNION (2003): ao contrário da visão romântica de que a obra estaria essencialmente expressa em um manuscrito onde o compositor indicaria todas as suas intenções, estes autores concebem a noção de obra no contexto da música popular como um script, um roteiro em aberto onde diversas camadas de mediadores (intérpretes, arranjadores, copistas e gravadoras) contribuem para a sua construção. O segundo polo tem como tema a questão do canto na música popular brasileira: a busca de um paradigma de um “canto nacional” foi uma constante em diversos períodos históricos, ANDRADE (1972) e PEREIRA (2007), STARLING (2010). Particularmente no período áureo da radiofonia no Brasil (1930-1950), a fusão entre elementos da música tradicionalmente de concerto e a música popular urbana foi uma constante na busca de uma ansiada “identidade nacional”. Assim, o bosquejo “A Noiva do Condutor” pode ser compreendido como um exemplo deste processo. Finalmente, o terceiro polo é constituído de duas componentes práticas relacionadas à “performance musical”: a elaboração de uma edição crítica de A Noiva do Condutor” – cuja partitura original se encontra desaparecida – baseada em transcrição de gravações e uma récita em versão para canto e piano, com a inclusão da transcrição fonética embasada no IPA - International Phonetic Alphabet, (2002) e da respetiva tradução livre do texto para o Inglês e Espanhol.

Palavras-chave: Noel Rosa, Opereta A Noiva do Condutor, Musicologia Histórica, Etnomusicologia, Estudos de Música Popular.